Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos,,

Da vida não quero muito. Quero apenas saber que tentei tudo o que quis, tive tudo o que pude, amei tudo o que valia a pena e perdi apenas o que, no fundo, nunca foi meu.

Desabafos,,

Da vida não quero muito. Quero apenas saber que tentei tudo o que quis, tive tudo o que pude, amei tudo o que valia a pena e perdi apenas o que, no fundo, nunca foi meu.

NOITES DE INVERNO

Bom ano para todos!!

manel martins, 18.01.22

CD1922C6-AC73-4830-8287-E00D077C3F84.jpeg


NOITES DE INVERNO
Um chá, o livro aberto com letras saltitantes que se agarram aos olhos, uns biscoitos saídos do forno, uma compota doce que nos faz não parar… de engordar. Bendito peso! O livro, um estranho romance rural, entre uma manta velha e fofa que me separa da lareira, é bom. Fala de uma paixão cega entre um senhor de meia idade e uma senhora, viúva, de pele macia, olhos grandes e um sorriso tão jovial quanto o da sua neta. A chuva samba na janela, o chá, de camomila, ainda ferve na chávena, as chamas vão dançando ao som de Rodrigo Leão. O homem, alto e de olhos castanhos, de sorriso difícil mas de coração derretido, não havia meio de se declarar, pois como o poderia fazer perante a viúva do seu saudoso irmão... paixão antiga, da escola primária, nunca declarada, ganha pelo irmão, esse homem que partiu cedo demais, trabalhador e muito destemido. A senhora, sua cunhada, via nele o seu grande e primeiro amor, mas à falta de coragem para lho dizer, em tempos, ficou-se com o irmão. Agora, com esta inesperada notícia que chegou via email, ela não queria acreditar, a sua vida iria mudar, como nunca. O chá já se bebe, os biscoitos são deliciosos, mas esta compota, ai esta compota...

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.